Absorção líquida é positiva no mercado de condomínios logísticos e vacância se mantêm estável no estado do RJ

IMG_8A

O estado do Rio de Janeiro apresentou absorção líquida positiva e taxa de vacância estável no primeiro trimestre de 2019 no mercado de condomínios logísticos de alto padrão quando comparado com 2018. O resultado é visto como positivo, de acordo com o estudo da Colliers International Brasil, que analisa os dados medidos trimestralmente. “Assim como era esperado, o ciclo do mercado está em recuperação e a tendência é que haja crescimento no decorrer de 2019”, alerta Ricardo Betancourt, presidente da Colliers Brasil.

As estatísticas mostram que a absorção líquida – saldo da diferença entre as áreas locadas e áreas devolvidas – foi de 7 mil m² no estado do Rio de Janeiro.  A taxa de vacância se manteve estável em 25%. Os menores resultados medidos em janeiro, fevereiro e março ficam com a região da Avenida Brasil (5%), Vale do Paraíba Fluminense (6%) e Belford Roxo/ Nova Iguaçu (7%).

O destaque na absorção bruta – quantidade de m² locados – também cresceu quando feita a mesma comparação. Enquanto que em outubro e dezembro de 2018 o valor foi de 28 mil m², no primeiro trimestre deste ano os números chegaram a 56 mil m². Os destaques ficam para as regiões de Duque de Caxias e Pavuna (ambas com 17,6 mil m²) e Queimados/ Seropédica (16,7 mil m²).

Preço médio – O preço médio pedido no mercado de galpões de alto padrão manteve-se estável, segundo os dados obtidos pela Colliers International Brasil nos meses de janeiro, fevereiro e março 2019 fechando em R$ 21 m²/mês.

Os menores preços estão na região de Queimados/ Seropédica (R$ 16 m²/mês) e Vale do Paraíba/ Fluminense (R$ 17m²/mês). Já os maiores valores foram encontrados na região da Avenida Brasil (R$ 38 m²/mês), Pavuna e Belford Roxo/Nova Iguaçu (ambos com R$ 22 m²/mês).

Em relação ao novo inventário, foram 23,3 mil m² entregues no primeiro trimestre de 2019 no estado. O novo empreendimento está localizado na região de Queimados/ Seropédica.