Absorção líquida cresce no mercado de galpões de alto padrão e vacância apresenta queda no estado do RJ em 2018

O resultado é visto como positivo, de acordo com o estudo da Colliers International Brasil, que analisa os dados medidos trimestralmente.

As estatísticas mostram que a absorção líquida  –  saldo da diferença entre as áreas locadas e áreas devolvidas – foi de 130 mil m².  As regiões de Duque de Caxias (63 mil m²), Pavuna (27 mil m²) e Queimados/Seropédica (25 mil m²) registraram as maiores absorções líquidas em 2018. O novo inventário se concentrou nas regiões de Duque de Caxias e Santa Cruz / Campo Grande.

Os dados mostram ainda que a taxa de vacância fechou em queda. Nos últimos 12 meses, o índice teve redução de cinco pontos percentuais e encerrou 2018 com 25%.  Quatro das oito regiões do Rio de Janeiro apresentaram taxa de vacância abaixo de 10%. São elas: Santa Cruz/ Campo Grande (0%), Campos (2%), Avenida Brasil (5%), Vale do Paraíba /Fluminense (6%).

As maiores regiões com absorção bruta – quantidade de m² locados – foram  Duque de Caxias (72 mil m²), Pavuna (39 mil m²) e Queimados/ Seropédica (28 mil m²).

Preço médio O preço médio pedido no mercado de galpões de alto padrão apresentou redução de 9% em um ano e encerrou 2018 em R$ 20 m²/mês.

Os menores preços estão na região de Campos (R$ 15 m²/mês), Queimados/ Seropédica (R$ 15 m²/mês) e Vale do Paraíba/ Fluminense (R$ 17m²/mês). Já os maiores valores foram encontrados na região da Avenida Brasil (R$ 38 m²/mês), Pavuna e Belford Roxo/Nova Iguaçu (R$ 22 m²/mês).