Faltam escritórios de qualidade em Lisboa

A Colliers International analisou o desempenho do mercado de escritórios, na primeira metade de 2016, e concluiu que faltam escritórios de qualidade em Lisboa. O desempenho do mercado tem prolongado a tendência de 2015, com um nível de absorção relativamente elevado e as rendas prime, relativamente, estáveis.

Dos dados mais recentemente recolhidos é possível antecipar que o mercado de investimento deverá manter-se em níveis elevados, recordando-se que, em 2015, o investimento em escritórios, rondou os 500 milhões de euros. Joaquim Chambel, MD da Colliers em Portugal, aponta para o volume de investimento recorde do ano passado, em que “o volume de investimento em escritórios, em Lisboa, suplantou o volume de investimento conjunto, no mesmo segmento, em Barcelona e Madrid”.

As perspetivas de evolução futura mantêm-se otimistas, contudo os estrangulamentos do lado da oferta poderão condicionar esta evolução positiva no imediato. Gustavo Castro, Research da Colliers International, acredita que “as previsíveis oportunidades de crescimento do mercado aumentarão a sua atratividade, conduzindo a novos projetos e conceitos inovadores, que poderão captar o pré-arrendamento e contrariar o pricing-out de escritórios das zonas do CBD”.

O mercado do Porto tem, também, experimentado uma evolução positiva, sofrendo constrangimentos similares do lado da oferta. Vasco Carvalho, Departamento de Offices da Colliers International, constata que “o mercado do Porto tem atraído o interesse de algumas multinacionais, sobretudo para áreas outrora não procuradas, acima dos 500 m²”.

Em resumo, a Colliers International acredita que o bom momento do mercado de escritórios se prolongará em 2016, antecipando que o maior constrangimento do mercado (oferta insuficiente), em Lisboa, poderá condicionar essa evolução positiva, mas, simultaneamente, poderá abrir oportunidades noutras cidades, que já têm vindo a funcionar como alternativas a Lisboa.

Related Experts
expert photo

Gustavo Castro

Head of Porto Office

Porto

Gustavo começou na Colliers, em 1999, como Junior Consultant. O seu bom trabalho foi reconhecido e, em 2000, foi promovido a Senior Consultant. Em 2001, Gustavo foi nomeado director do escritório do Porto. Em 2007 e 2008, auxiliou a criação dos escritórios locais da Colliers em África (Moçambique e Angola).

Desde 2008, Gustavo acumula a direcção do escritório do Porto com a equipa de Reserach.

A equipa de Reserach melhorou o seu desempenho, colocando a investigação da Colliers entre as melhores de Portugal, abarcando diversos mercados e monitorizando periodicamente os mercados mais importantes.

Pode contactar no LinkedIn.

View expert